Diario Pernambucano – Falsiê, mas sem farsas.

Estudante é internado após inserir no Currículo Lattes uma participação em quermesse

Mais uma patologia mapeada pelos psiquiatras: a Síndrome Lattes.

Uma estranha psicopatologia vem tomando uma parcela dos universitários brasileiros e causando rebu entre os psiquiatras. Trata-se da Síndrome Lattes, cujo nome deriva da Plataforma Lattes: distinta entre os estudantes e professores universitários por ser a base do indispensável e burocrático Currículo Lattes. O Lattes, assim popularmente conhecido, é uma espécie de embarcação meritocrática que facilita a navegação no oceano universitário das vaidades. Considerada uma patologia de grau intenso, a Síndrome Lattes impele o adoentado a montar uma realidade paralela que costuma identificar ao seu currículo que passará a estar repleto de atividades não-acadêmicas, invencionices e ocupações excêntricas. Tudo isso sustentado por uma linguagem privada ou mesmo esquizofrênica. “Quanto mais o infeliz atualiza o Currículo Lattes, seja participando de eventos estranhos ou escrevendo textos esquisitos, mais a contingência por atualizá-lo aumenta”, afirma o Dr. Plínio Aleiva, da USP. Foi o que aconteceu com Carlos Caldas da Silva, estudante de Ciência Política na UNIFESP da Baixada Santista. Ao passar uma tarde na Quermesse da Gota de Leite, tradicional em Santos, Carlos voltou até sua casa com um comportamento que deixara de ser inabitual. “Carlinhos saiu dizendo que ia realizar um trabalho de campo para uma disciplina de Antropologia. Para mim, apenas uma quermesse. Chegou angustiado em casa, abriu o Currículo Lattes, atualizou, soltou um grito atemorizante e me deu um abraço forte. Semana passada, doou sangue no Hospital Beneficência Portuguesa e pôs no currículo que se tratou de uma participação em evento internacional. Não sabia mais o que fazer e acabei por interná-lo!”, afirmou Maria Neuza da Silva, mãe.

Caso inicial da Síndrome.

Se você é ou tem um estudante universitário em casa, FIQUE ATENTO AOS SINTOMAS.

• Horas perdidas na Plataforma Lattes buscando o currículo dos amigos; • Locução constante sobre o próprio Lattes; • Narcisismo exacerbado acerca de comunicações apresentadas ou artigos escritos; • Exposição constante e angustiada nas redes sociais acerca dos próprios méritos; • Corrida ininterrupta por bolsas e viagens para congressos [cujos temas são risíveis]; • Esquecimento progressivo da cerveja, dos sorrisos, da família, dos amigos [concorrentes], do trivial e do motivo mesmo da doença: as pesquisas.

lala

Comentários

comentários

URL curta: http://www.diariopernambucano.com.br/?p=13525

Publicado por em 10 junho 2013. Arquivado em Destaques, Educação, Saúde, Últimas. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

27 Comentários para “Estudante é internado após inserir no Currículo Lattes uma participação em quermesse”

  1. Agnaldo

    Olhem só! Até mesmo um Lates torna-se banalizado por alguns “usuários de drogas” como os Funks e os axés que acabam postando suas “diarreias mentais” e se achando intelectuais. Também! o que essas drogas musicais causam na mente das pessoas! Deviam largar a faculdade e não ridicularizar um mecanismo sério de pesquisadores. Vá ser uma “porcariazinha” qualquer nos bailes da vida!

  2. doido

    Errata: o nome do estudante é Plínio e não Carlos. Este é o nome do professor da USP entrevistado.

  3. Gislene Bosnich

    Sem contar as dissertações e teses que são apenas rebuscadas aspas e citações sem nenhum atrevimento acadêmico de análise. Tudo em Ciências Humanas virou estudo de caso e nada é estudo da gênese. Ruim, muito ruim mesmo.

  4. Santista

    Não entendi por que sitaram a região da Baixada Santista e a quermesse gota de leite, algo contra a região ?

  5. debora

    “estudante de Ciência Política na UNIFESP da Baixada Santista” só que não tem esse curso nesse campus!

  6. Priscila

    Só ser for piada, porque nesse campus só tem Psicologia, Serviço Social, Fisioterapia, Educação Física, Ciências do Mar e Nutrição. Tem gente que vai levar a serio, isso aí! =p

  7. Diego Sayron

    O mais divertido são os comentários!

  8. Igor Saraiva

    Sra. Maria Neulsa da Silva
    Ele não disse ver coisas que não existiam,certo?Não acha que ainda podia ser tratado com psicólogos em vez de psiquiatras?Já viu a situação dos hospitais psiquiátricos no Brasil?Não há pessoas que tem a saúde prejudica por diagnósticos errados (no Brasil vemos isso todo dia)?
    Tenho um problema parecido mas nunca me aconteceu nada;às vezes me esqueço do que tenho que fazer e fico imaginando situações que não existem.Nunca me aconteceu de ser alucinado, nem nada.
    Você quer mesmo que seu filho seja internado até o convencerem que ele está louco?Não quer ter certeza do é melhor para ele.Posso estar errado mas peço, por Jesus, que pense bem;Por Favor.

  9. Jeizon

    Eu até comecei pensando que poderia ser verdade… mas quando eu vi nos posts relacionados que o Belo seria o novo vocalista do Sepultura tive a certeza de que só poderia ser piada… bom texto pessoal…

  10. Fábio Teles

    Foi-se a época em que pesquisadores e cientistas se preocupavam com a conquista do conhecimento. Hoje, infelizmente, é uma disputa vazia de ego, onde quem publica m… é mais contemplado. A quantidade é mais importante que a qualidade. Albert Einstein dentre outros, nunca se preocuparam com excesso de publicações.

  11. Fflch

    Em casos graves gera teses e dissertações pitorescas como: importância dos pizzaiolos ….
    E tem gente que colocará os comentários aqui postados como participação em discussão em forum virtual.
    Aguardo ainda aqueles que dissertarão sobre as mazelas da educação no país citando Paulo Freire, Piaget e Edgar Morin.

  12. Oldegard

    Quantos HH perdidos.
    Nenhuma palavra do nosso DEUS de Abraão, Isaac, Jacó, José, Moisés e tantos outros.
    Fazer o bem e muito melhor……..
    Fazer mal e muito ruim……
    Se liguem…………………….
    Sds

  13. Célio Azevedo

    Mas que mãe puta é essa?

  14. Célio Azevedo

    Internar o próprio filho por uma bobagem dessas?

  15. That’s really shwerd! Good to see the logic set out so well.

  16. […] o currículo Lattes é uma tarefa individual e particular, que pode até ser motivo de brincadeiras ou de protestos na Web, mas pode ser relevante no posicionamento profissional em sistemas regionais […]

  17. […] o currículo Lattes é uma tarefa individual e particular, que pode até ser motivo de brincadeiras ou de protestos na Web, mas pode ser relevante no posicionamento profissional em sistemas regionais […]

  18. Lattes menos

    Já pensou se os autodidatas descurricularizados fossem atingidos por esse vírus? Sem lattes, contudo portfólio de gênio gravado na história mundial. Acredito que deveriam pensar mais e lattes menos. As vezes um Lattes em branco, vale mais que um milhão de lattes obesos… Exemplos: Steve Jobs, Bill Gates, Thomas Edson, Abrahan Lincolm, etc. Não tiveram currículo, nem graduação, nem estudo formal. O “Lattes” deles, quem escreveu foram os feitos, os portfólios, a diferença concreta no mundo. Sem certificado, sem diploma. Se, se preocupassem com isso, provavelmente não teríamos a lâmpada, nem iphones, nem evoluções, windows, Apple, etc, etc, etc. Realmente esse transtorno obssessivo de lattes compulsivo deixou a população embeciloidozada. Deveriam preocupar com ações, atitudes, feitos, essência. É o que faz a diferença e fica depois que o corpo se vai. Lattes menos! Fazes Mais!

Deixe uma Resposta

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Siga-nos no Twitter

Curta-nos no Facebook

Confira nosso canal no Youtube

Últimas Notícias

Imagens

Fazer login | Desenvolvido por RackTheme