Diario Pernambucano – Falsiê, mas sem farsas.

Após lei de limitação de cachês, São João de Pernambuco voltará a ter forró

Trio de forró pé-de-serra: bom, barato, da terra e não onera o Estado.

Após aprovação de projeto de lei que visa limitar cachês de atrações pagas pelo Estado, uma série de cancelamentos de shows, já em 2016, por parte de artistas de porte nacional, começou a ter lugar.

Wesley Safadão, que faria um show em Caruaru pela bagatela de R$ 575 mil, cancelou.  Bell Marques, aposentado em atividade, que receberia R$ 280 mil, cancelou. Luan Santana, que abiscoitaria R$ 400 mil, cancelou. Carreta Furacão, que receberia R$ 100 mil, cancelou. Lobão e Ultraje a Rigor, que tocariam juntos pela quantia de R$ 200 mil, cancelaram. Os passistas do impeachment, que dançariam por R$ 70 mil, “dançaram”. Mara Maravilha, que faria um show gospel por R$ 30 mil, se foi.

Por consequência, os municípios terão de apostar naquilo que tem de mais autêntico quando o assunto é forró e São João: as bandas de forró pé-de-serra. Lindas, da terra e com preço na faixa.

lala

Comentários

comentários

URL curta: http://www.diariopernambucano.com.br/?p=22695

Publicado por em 21 junho 2016. Arquivado em Mauritsstad. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Siga-nos no Twitter

Curta-nos no Facebook

Confira nosso canal no Youtube

Últimas Notícias

Imagens

Fazer login | Desenvolvido por RackTheme