Diario Pernambucano – Falsiê, mas sem farsas.

Após estudante agredir assaltante com livros, vereadores incluirão obras na categoria de armas brancas

13453627_10201901273129876_1274365420_n

Qualquer dono do poder sabe que livro é uma coisa perigosa.

Não é novidade que uma população educada e repleta de leituras oferece ameaça aos bandidos. Talvez por isso a pasta da educação seja a que mais sofre com desleixo e indiferença por parte daqueles que foram eleitos para governar.

E o que os políticos mais queriam pode acontecer após o caso ,”literalmente” fora do comum, no qual uma estudante universitária reagiu a um assalto agredindo o celerado com livros.

Pegando carona nas brechas interpretativas e morais, vereadores do Recife já estudam a possibilidade de criar um projeto de lei para incluir livros na categoria de armas brancas.

“Livro é comprovadamente um objeto perigoso. Veja, por exemplo, os livros de Bruna Surfistinha, os textos de Olavo de Carvalho e as obras de Diogo Mainardi: se pegar no olho, cega! Também é a nossa chance de barrar as obras que discutem ideologia de gênero “, afirmou o Vereador Pastor Cabo Collens.

lala

Comentários

comentários

URL curta: http://www.diariopernambucano.com.br/?p=22676

Publicado por em 16 junho 2016. Arquivado em Mauritsstad. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Siga-nos no Twitter

Curta-nos no Facebook

Confira nosso canal no Youtube

Últimas Notícias

Imagens

Fazer login | Desenvolvido por RackTheme